Posts from ‘October, 2008’

Contabilidade amorosa de 2008

Não é pra somar tudo, as coisas se sobrepõem: 1 relacionamento que eu estava achando o melhor de todos os tempos o amor da minha vida a paixão que a-* 1 luto concluído, 3 anos depois 3 significativas acelerações no batimento cardíaco 2 dos aceleradores viraram amigos 1 sumiu 1 casinho em São Paulo 1 […]

Quando o amor atrapalha

Passada a ressaca das eleições de ontem, convém lembrar que faltam menos de dez dias para o pleito aqui do norte, e o candidato dos camarões e das tubas tem tudo para levar. Na verdade, a eleição de Obama parece tão certa que só consigo visualizar dois cenários possíveis nos quais ela não se concretizaria, […]

Dos chicas in a Halloween parade!

Isso sim é o que eu chamo de uma verdadeira experiência antropológica. A roomate e eu fomos a uma parada de Halloween hoje à noite, que nada mais é que uma second line repleta de gente fantasiada: Pelo que entendi, rola uma espécie de malhação do Judas, com a diferença de que o Judas daqui […]

Teoria do cafezinho e da turbulência

Meu amado Alex possui uma teoria sensacional e particularíssima para explicar o fenômeno da turbulência nos aviões. Diz ele que o cafezinho causa as turbulências: afinal, qualquer um pode constatar que, mal as aeromoças começam a movimentação dos carrinhos para servir-nos o café nosso de todo vôo, é batata que tudo começa a balançar. Pois […]

Reflexões sobre o sentido da vida a partir das diferentes pronúncias de boquete

Não faz muito tempo, aprendi a suposta pronúncia correta desta palavra tão expressiva. Suposta porque ainda não me conformei com ela, e este texto vem justamente advogar uma pronúncia alternativa. Acompanhem meu argumento: Boquéte, que me dizem ser o correto, rima com o quê? Era uma vez Uma menina coquete No carnaval, jogava confete Sua […]

Um conto, para variar

Depois do esmagamento Fui uma criança bissexual; não posso mais escapar desse reconhecimento tardio. A prima era igual a mim, só que melhor: loira, rica e culta. Pois com que então uma menina de sete anos sabia falar inglês tão perfeitamente? Não me ocorria que, aos sete anos, o inglês de minha prima inglesa regulava […]

Escavando abóboras

Segue o registro da experiência antropológica da semana: Bom fim de semana a todos!

Separados no nascimento, a saga

Dando prosseguimento à nossa anti-popularíssima série “Separados no nascimento” (ignorem as moçoilas, por favor): Tord Gustavsen Junior Lima Pena que a música é um pouquinho diferente. Para quem ouviu a musiquinha da semana do blog e se interessou, o disco pode ser baixado inteiro aqui (de graça, que eu sei das condições proletárias dos leitores). […]

Fenomenologia da saudade

Estou em New Orleans fazendo pós-graduação em literatura e em saudade. E olha que eu achei que já sabia tudo sobre saudade, por causa da morte da minha mãe e de uma certa história infernal que os chegados conhecem muito bem. E não é que estou sendo obrigada a rever – e viver – tudo […]

Momento recreio: comentários desimportantes sobre músicas desconhecidas

Eu devia estar lendo, eu devia estar estudando (e, na verdade, estou mesmo, prometo!). Mas, se eu não parasse um pouquinho para procrastinar, não seria eu. Em 90% dos casos, minha procrastinação envolve música, e hoje brinquei com musiquinhas novas – sobre as quais falarei aqui não como eu falaria numa mesa de bar, que […]