Posts from ‘August, 2009’

Fragments d’un discours amoureux

ADORABLE. Ne parvenant pas à nommer la spécialité de son désir pour l’être aimé, le sujet amoureux aboutit à ce mot un peu bête: adorable! ATTENTE. Tumulte d’angoisse suscité par l’attente de l’être aimé, au gré de menus retards (rendez-vous, téléphones, letres, retours). CACHER. Figure délibérative: le sujet amoureux se demande, non pas s’il doit […]

Sabedoria

Quando eu tinha onze anos eu tinha uma amiga muito mais velha, de doze anos. A gente estudava computação juntas: comandos do DOS todos os dias depois da escola. Até o dia em que ela desistiu. Por quê? Ela me disse: porque ela estava apaixonada. E daí? Daí que ela precisava de mais tempo livre. […]

Você sabe que está nos Estados Unidos quando

- ninguém aplaude e faz êêêêê quando o avião aterrisa; – no aeroporto, é recepcionado pelos graciosos dotes vocais de Britney Spears; – recebe moedas de um centavo de troco; – vê um cidadão andando pela rua segurando uma única banana; – não ouve, de pessoas exercendo funções subalternas, “I’m sorry if anything” (desculpa qualquer […]

Notícias do além-golfo

Só pra dizer que tá tudo bem e que tive duas surpresas muito lindas, uma na sexta e uma ontem – momentos anti-socráticos nos quais, em vez de saber que nada sabia, soube que sei muito mais do que eu imaginava saber. Sexta descobri que eu não sabia que gostava tanto assim de Steely Dan. […]

Um post maníaco OU Meu dia de Mastercard OU Me preparando para viver e morrer feliz OU Sue me if I write too long

Ok, ok, um dia alguém ainda me convence de que a vida é dura e difícil e é preciso trabalhar arduamente com muita dor e sofrimento e suor escorrendo pelas orelhas para que se possa usufruir de alguma paz e conforto antes da morte amém. Mas, até que isso aconteça… PORRA, A VIDA É BOA […]

Quando Murphy ganha de Freud

Volto para New Orleans, para a minha vidinha de acadêmica e dona-de-casa, esta quinta-feira. Se, quando cheguei, as pessoas me perguntavam como é a vida por lá, agora me perguntam quais são as minhas expectativas para a volta. Eu estou com saudade da minha rotina? Não vejo a hora de voltar? Não quero ficar aqui […]

Elaborando (apenas parcialmente) o luto pelo Biscoito

Algumas pessoas têm usado a tag da compulsão, da dependência química, para falar da dolorosa (para os que ficam) hibernação do meu blog favorito. É uma metáfora apropriada, mas metáfora por metáfora prefiro a do luto, e é ela que vou usar. Felizmente, porém, hibernação não é morte, o que significa que não incorrerei no […]

A Perdição do Bem

Era no tempo do café, das grandes fazendas e das famílias maiores ainda. Mas essa, a família nossa desta história, estava apenas começando a frutificar: criança tinha uma só, o Bem. Era a primeira menina do Administrador da fazenda, no tempo que Administrador da fazenda queria dizer qualquer coisa de importância. O Bem pequenininha brincava […]

Perigando simioto

Era um casal com um nenê muito doentinho, mirradinho. Naquela época não tinha o costume de levar criança no médico: levava benzê. A benzedeira disse que a criança não ganhava susto (de sustância) por não mamar bem; Pai e Mãe não entenderam nada. Pois se o nenê mamava toda noite? E nenê cada vez mais […]

Walmir e Preta

Moram no interior. Nunca tiveram filhos, mas compartilham uma cunhada que mora na edícula. Todo dia ela faz visita depois do almoço para discutir a novela da noite anterior. Vai embora logo para não perder o Vale a Pena Ver de Novo. O pós-almoço, aliás, é o momento mais cheio do dia de Walmir e […]